Movimento Minas 2032

movimento
substantivo masculino
  1. 1.
    ato ou efeito de mover(-se).
  2. 2.
    p.ext. conjunto de ações de um grupo de pessoas mobilizadas por um mesmo fim.
    “m. contra o tabagismo”

 

Foram meses de trabalho, muita discussão, muito diálogo, muita dúvida, tentativa e erro, aprendizado e alguma certeza, na compreensão do que significa criar um movimento. Uma coisa é certa: movimento pressupõe ação. Movimento sem ação não é movimento: é blá-blá-blá.

E como tudo tem que ter um começo, um meio e um fim, a nossa base são os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pela ONU: 17 diretrizes para que tenhamos um mundo melhor a partir de 2030. E o desafio está lançado. Não tem volta e não temos tempo.

Mas, antes dos ODS se tornarem o próximo discurso vazio, do tipo “preserve a natureza”, é preciso agir. Estamos tão preocupados com os nossos umbigos, com os nossos negócios que, olhar para o outro, para o planeta, parece tão impossível, tão distante quanto o ano 2030. Mas, o tempo não perdoa: tudo é rápido demais para que a gente pense como será. Mas já é. 2030 já está aqui, debaixo dos nossos narizes. Então, é fundamental agir, agora!

E por onde começar? Sugiro começarmos pelo nosso negócio, por nossa empresa, pelo nosso bairro, na nossa casa, por mim, por você. Comece! Olhe ao seu redor e compreenda o que falta, o que é necessário ao desenvolvimento. Comece a olhar para o outro, mas, por favor, sem hipocrisia. Pratique a empatia, colocando-se no lugar do outro e comece! Procure seus amigos, parceiros, fornecedores, clientes. Converse, planeje, coloque as ideias em prática, ou seja, aja!

Propor um movimento é algo que deve ser mais fluido, mais orgânico. Para começar, basta olhar para o outro, com compaixão. Escutar sem julgar, observar. Na Multiverse, praticamos a escuta e estamos acostumados a movimentos de ação e de impacto: Imaginário Coletivo, Elas por Ela, Foto Abraço, Olha.me, Diálogos DC, dentre tantos outros que foram e que vêm por aí.

Tudo o que sempre acreditamos e fazemos vai ao encontro das proposições dos ODS, que passaram a nortear as nossas ações, nossos projetos, nossas parcerias. Com eles, aprendemos, erramos, transformamos pessoas, comunidades, cidades. Transformamos o mundo. Por mais que isso possa parecer prepotente, por aqui é assim: tem que ter consistência e propósito, além de embasamento científico, senão vira discurso vazio, de palco, ou aquelas soluções milagrosas, que, em pouco tempo resolvem grande problemas, com resoluções boas demais para ser verdade, que misturam conceitos vagos, cheios de palavras bonitas e que, no fundo, não servem para nada, a não ser nos ludibriar.

Não, não acreditamos neste tipo de conteúdo e de metodologia.

Por mais que a academia pareça distante de nós, reles mortais, acreditamos na queima de muito, muito fosfato para a compreensão do nosso mundo e para a resolução de problemas. O que nos direciona é a metodologia científica, pois temos em nosso time diversos cientistas. Acreditamos no debruçar sobre conceitos para decifrar enigmas e propor soluções reais. Esta é a base para a ação concreta. É o nosso modus operandi. Acreditamos na observação etnográfica, sobretudo na escuta e na leitura de cenário para compreender os problemas na sua essência. Além disso, tem que ter propósito, senão não nos interessa. Levamos isso para onde vamos, para nossos parceiros, para nossos clientes, para nossos fornecedores, para a nossa vida.

E como não fazemos nada sozinhos, precisamos de parceiros para os nossos movimentos, porque chegamos à conclusão que isolados não temos a força para a urgência que queremos e que precisamos. Parceria pressupõe associação, união, mas tem que ser boa para ambos os lados, senão é exploração, é desleal. Isso também não nos interessa. Tem que ter gente, porque é com gente que fazemos as coisas. Tem que ter gente boa, que comungue dos nossos ideais, pois é com gente que resolvemos os pequenos e grandes problemas do nosso planeta. É com gente que trabalhamos. É com gente que nos tornamos mais gente e ganhamos força para transformar o mundo. Isso é tão importante que está no ODS 17. Então, no seu negócio, por favor, não se aproveite das parcerias em prol do benefício próprio: respeite e valorize o trabalho do outro. Isso fortalece o mercado e a qualidade dos serviços e produtos. Não me venha com essa de “parceria” que seja boa só para uma das partes. Isso não paga as contas no fim do mês, pois não é sustentável. Nenhum negócio sobrevive de tapinha nas costas e de “parcerias” em que um só ganha.

Assim, a Multiverse termina 2017 com um desafio dos bons: ser uma das organizadoras do Movimento Minas 2032, uma articulação das diferentes esferas da sociedade em prol do desenvolvimento sustentável da nação, com base nos ODS. No ano de centenário do jornal Diário do Comércio, nosso cliente e um dos parceiros da iniciativa, juntamente com o Instituto Orior, o que estamos nos propondo é uma agenda de transformação que irá impactar o nosso planeta nos próximos anos. Nosso ponto de partida é Minas Gerais, nosso estado com um grande potencial econômico e de desenvolvimento.

É uma senhora responsabilidade, mas gostamos de desafios e queremos um mundo melhor para nossos filhos e filhas, netos e netas, então estamos dentro, até o último fio de cabelo!

Somos nativos digitais, fuçadores, fazedores ou, como dizem os descolados, somos makers e acreditamos que as novas tecnologias podem mudar o mundo. Mas, rapidamente percebemos que uma das formas mais impactantes de transformar cenários é pelo design estratégico, resolvendo problemas, sejam eles grandes ou pequenos. Este é o nosso DNA: compreendemos, observamos, definimos, idealizamos, prototipamos, testamos e implementamos. Com planejamento, usamos esta metodologia desde o nosso nascimento e levamos estes conceitos para os nossos projetos e para os nossos clientes. Tudo isso pressupõe ação, movimento.

Assim, começamos uma nova fase de planejamento e de proposições. Tem muito trabalho pela frente, então, que tal vir junto com a gente? Em breve teremos uma solução para auxiliar pessoas a colocarem em prática as proposições da ONU.

Para saber mais, acesse as informações sobre os ODS: www.estrategiaods.org.br.

Para saber mais sobre o movimento, entre em contato conosco: oi@multiverse.com.br.

.